Roberto Carlos festeja a “libertação” e volta a cantar música censurada por ele mesmo

Cultura 24/12/2016 às 09:51


 Foi necessário esperar até 2016, esse ano difícil e interminável, para ouvir Roberto Carlos voltar a cantar “Quero que Vá Tudo pro Inferno”, musica de 1965, vetada em seu repertório desde a década de 80.

 
Quando, finalmente, o músico informou ter se livrado do transtorno que o impedia de pronunciar a palavra maldita, o público foi ao delírio. Como se o Rei tivesse marcado um gol – e foi mesmo.
 
“Não me lembro mais quando foi a última vez que cantei essa música. Faz muito tempo realmente. De repente os amigos insistiram e comecei a tratar o TOC (transtorno obsessivo compulsivo). Melhorei um pouco e ensaiei cantando pela metade, mas aí tratei mais um pouco e resolvi cantar tudo”, disse o cantor.
 
robertomarisamontePara quem faz praticamente o mesmo especial desde 1974, a “libertação” de Roberto foi o ápice de um show com bons momentos musicais. Em especial, registre-se a parceria com Marisa Monte em “De que Vale Tudo Isso” e “Ainda Bem”. Também sobrou emoção no encontro com Caetano e Gil, este bem abatido, para cantar “Coração Vagabundo” e “Marina”.
 
Bem básico, o show intitulado “Simplesmente Roberto” contou, ainda, com participações de Zeca Pagodinho, Jennifer Lopez e Rafa Gomes, cantora-mirim revelada no “The Voice Kids” no início do ano.
 
Ainda que Roberto tenha conseguido exorcizar “que vá tudo para o inferno”, não faltou o contraponto de “Jesus Cristo” para, como de hábito, encerrar o show.
 
PrintFriendly and PDFImprimir
Clique para compartilhar no Facebook(abre em nova janela)Clique para compartilhar no Twitter(abre em nova janela)Clique para compartilhar no WhatsApp(abre em nova janela)Clique para compartilhar no Telegram(abre em nova janela)Compartilhe no Skype(abre em nova janela)

Compartilhe isso

Comentários