Bola rola pelo Paraibano na próxima semana; veja perfil dos times

Esporte 01/01/2017 às 11:22


Amantes do futebol não vão ter que esperar muito para sentir o coração bater mais forte em 2017. Isso porque a bola volta a rolar já no próximo domingo (8), pelo Campeonato Paraibano. A primeira fase do torneio deve ir até o dia 19 de fevereiro, com a participação de dez clubes. O jornal Correio da Paraíba traçou o perfil de cada um desses times que vão lutar para levantar a taça de campeão estadual. Confira mais abaixo.
 
Mas não é só isso: em 26 de janeiro tem início a Copa do Nordeste e a partir de 8 de fevereiro acontece a Copa do Brasil. A previsão é de que esses torneios acabem, respectivamente, em 24 de maio e 12 de outubro. Mais futebol será apreciado no Campeonato Brasileiro. A bola rola nas séries B, C e D em 13 de maio. A elite estreia no dia seguinte.

Quebrar jejum é meta do Botafogo-PB
 
Depois de dois vice-campeonatos consecutivos, o Botafogo quer acabar com o jejum de títulos no Campeonato Paraibano deste ano. A última vez que o Alvinegro da Estrela levantou um troféu foi na conquista da Série D do Campeonato Brasileiro, em 2013. Para acabar com o jejum, o clube aposta na manutenção de uma base da temporada passada.
 
Do time que quase conquistou o acesso à Série B no ano passado, bons nomes ficaram para disputar as quatro competições (Paraibano, Copa do Nordeste, Copa do Brasil e Série C) que o clube participará em 2017. São os casos do goleiro Michel Alves, do zagueiro Plínio, do lateral-direito Gustavo, do volante Sapé, além dos meias Raphael Luz e Marcinho.
 
Outro remanescente é a aposta de gols do Belo para a temporada. Trata-se do centroavante Rafael Oliveira. Autor de 19 gols em 27 partidas na primeira passagem pelo clube, o jogador vem fazendo uma boa pré-temporada e tem o prestígio da diretoria alvinegra.
 
Além dos atletas que ficaram, outros muitos chegaram, mas a maioria sem grande badalação. Os que merecem mais destaque são o zagueiro Bruno Maia, o volante Robston e os atacantes Wanderson Costa e Diego Campos. A deficiência no elenco é nas laterais. Por enquanto, apenas Gustavo (direito) e Carlos Renato (esquerdo) estão à disposição do técnico Itamar Schülle.

Campinense sonha com tricampeonato
 
Pressionado pela sua calorosa torcida, a Raposa já inicia o Paraibano com a difícil missão de brigar pelo tricampeonato estadual. Mesmo com um novo técnico, a diretoria conseguiu manter importantes jogadores que atuaram nas últimas temporadas, a exemplo do goleiro Glédson, o lateral Ronaell, o zagueiro Joécio, os volantes Magno e Fernando Pires, além do meia Felipe Ramon.
 
Após duas campanhas de sucesso sob o comando do técnico Francisco Diá, o Campinense agora estará nas mãos do paranaense Paulo Foiani, que recentemente esteve no ASA de Arapiraca, onde conseguiu fazer uma boa trajetória no Campeonato Brasileiro da Série C.
 
Contudo, não é só a busca pelo título do Paraibano que aperta a Raposa, mas depois do vice-campeonato do Nordeste conquistado em 2016, após perder para o Santa Cruz-PE dentro de casa, o torcedor também cobrará uma nova participação calorosa na competição regional e desta vez, quem sabe, repetindo o feito de 2013 quando conquistou o lugar mais alto do pódio.
 
Como novidades, destaque para o atacante Tiago Orobó e o meia Marcos Paullo, este que atuou na última temporada no Moto Club, time no qual conquistou o Campeonato Maranhense e o acesso à Série C do Campeonato Brasileiro, meta que a Raposa tem para 2017, já que disputará a Série D a partir do meio do ano.
 
Atlético de Cajazeiras é time com figuras desconhecidas
 
Campeão paraibano em 2002, o Atlético de Cajazeiras é um dos principais clubes do interior do estado. Após campanhas sem grande expressão, a diretoria do Trovão Azul resolveu ousar e apostou em um time quase todo formado por jogadores do sudeste brasileiro, bem desconhecidos do torcedor paraibano.
 
Não só o elenco, mas a comissão também segue este mesmo perfil. O que pesou para esta temporada é que o técnico Júnior Gomes deixou o cargo antes mesmo de a bola rolar. O auxiliar Ederson Araújo acabou assumindo o time, que contará apenas com o atacante Eduardo Rato como figura conhecida. Entre os destaques, o centroavante Alef, que fez uma boa pré- temporada, deve ser uma das surpresas do certame.
 
Auto Esporte aposta em ‘cerejas do bolo’
 
Carente de títulos há mais de duas décadas, a torcida do Auto Esporte novamente deve ver um time que vai brigar pelo troféu do Campeonato Paraibano. Com um orçamento enxuto, o Clube do Povo vai ser comandado pelo jovem Gerson Junior, que deixou o cargo de auxiliar no Centro Sportivo Paraibano (CSP) para assumir a missão de dirigir o time.
 
A grande estrela da equipe é o experiente zagueiro Fábio Bilica, que jogou sua carreira praticamente toda no futebol europeu. Tratado como a “cereja do bolo” do time automobilista, o defensor terá a missão de comandar o elenco. Uma dos destaques é o atacante Cesinha, que foi contratado brilhar pelo Afogados da Ingazeira na 2ª Divisão de Pernambuco.

CSP visa ‘apenas se manter’
 
Fundado em 1996, o Centro Sportivo Paraibano (CSP), a princípio não passava de uma escolinha. Depois passou a disputar as categorias amadoras promovidas pela Federação Paraibana de Futebol. Em 2007, passou a disputar a Segunda Divisão. Quatro anos depois conseguiu o acesso para a Primeira Divisão. Em 2011, ficou com a segunda colocação da principal competição estadual. No ano seguinte foi campeão da Copa Paraíba, vencendo na final, o Botafogo. Para 2017, o CSP promete ser mais modesto. A novidade é a estreia do ex-zagueiro Léo Oliveira como técnico. Ele contará com o auxílio do presidente do Conselho Deliberativo, Josivaldo Alves, que também já atuou na função.

Grêmio Serrano volta à elite após 18 anos
 
De volta à elite paraibana após 18 anos, o Grêmio Serrano promete permanecer na Primeira Divisão. Com uma comissão técnica chefiada pelo ex-jogador Dudu Medeiros, que está atuando como gerente de futebol, o Lobo da Serra tem ‘nomes de peso’ no time que disputará o Campeonato Paraibano a partir do próximo domingo. Ferreira e Izaías, campeões brasileiros da Série D pelo Botafogo da Paraíba são apenas dois, entre os nomes de destaque. Além deles, o atacante Rafael Ibiapino (ex-Campinense) e o meia Rodrigo Paraíba, filho de Marcelinho Paraíba, reforça o time do técnico André Prodes, que assumiu após a saída do técnico Betão Caitano (primeiro profissional a deixar o cargo na atual temporada).
 
Colorado quer brigar pelo título
 
O Internacional da Paraíba, que foi fundado em 1959, se profissionalizou em 2008, ainda como clube sediado em João Pessoa, sendo campeão paraibano da Segunda Divisão no mesmo ano. Na temporada seguinte, o time disputou a Primeira Divisão, sendo rebaixado. Depois disso, o Internacional ficou inativo durante cinco anos. Em 2014, o Internacional voltou com sede diferente, passando a mandar seus jogos na cidade de Teixeira. Em 2016 voltou para João Pessoa.
 
Velhos nomes e possíveis surpresas no Paraíba
 
Após passar para a segunda fase do Campeonato Paraibano de 2016, o Paraíba de Cajazeiras quer novamente brigar na parte de cima na competição deste ano. Para isso, manteve o técnico Jorge Luís, um dos grandes responsáveis pela boa campanha na temporada passada. Além disso, jogadores importantes como os meias Cleitinho e Renatinho ficaram. Sem falar no atacante França, principal goleador do time. Para o ataque, a diretoria da Cobra Coral trouxe um jogador polêmico. Trata-se do experiente Vavá Matralha, bicampeão estadual com a camisa do Treze. Outro bom reforço é o meia Márcio Tarrafas, que disputou o Paraibano do ano passado pelo Dinossauro.

Sousa ‘treina’ para a Série D no Paraibano
 
Acostumado a montar times que batem de frente com as maiores equipes do estado, o Sousa Esporte Clube mais uma vez deve ter um elenco competitivo para a disputa do Paraibano. O Dinossauro será novamente comandado pelo técnico Tazinho, que assumiu o time alviverde nas disputas da Série D do Campeonato Brasileiro do ano passado. Alguns atletas como Camilo e Peu seguem no elenco. Outros chegaram, como o experiente goleiro Pantera, bicampeão estadual e campeão da Copa do Nordeste pelo Campinense. No sistema ofensivo, destaque para os meias Paulinho Mossoró e Thiago Marabá, além do centroavante Josy e de André Cassaco, que já atuou pelo Botafogo, em 2015.
 
Treze promete volta por cima
 
Maior campeão na Paraíba no século 21, o Treze tenta retomar em 2017, a condição de brigar pelo título e ganhar o direito de voltar a representar a Paraíba em competições regionais e nacionais. Para isso, o Galo da Borborema, que levantou a principal taça estadual em 2011, formou um elenco para tentar subir no ponto mais alto do pódio. A meta é esquecer as campanhas negativas dos últimos cincos, para repetir as conquistas estaduais registradas em 2000, 2001, 2005, 2006, 2010 e 2011, além da quinta colocação na Copa do Brasil de 2011. Uma das apostas é o técnico Leocir Dall’Astra, que estava atuando o Ypiranga de Erechim/RS. Além dele, o grande nome que vestirá a camisa alvinegra em 2017 é o meia Marcelinho Paraíba.
 
VITRINE DO CARIRI

Compartilhe isso

Comentários