Agentes russos afirmam ter informações comprometedoras de Trump, diz CNN

Mundo 10/01/2017 às 20:20


Documentos secretos apresentados na semana passada por agências de inteligência americanas a Donald Trump incluem alegações de que agentes russos afirmam ter informações pessoais e financeiras comprometedoras sobre o presidente eleito dos EUA, diz uma reportagem exclusiva da rede CNN. A emissora credita a informação a “vários oficiais com conhecimento direto desses documentos”.
 
Segundo a CNN, as alegações foram apresentadas em uma sinopse de duas páginas anexada ao relatório sobre a interferência russa na eleição de 2016. Elas se originam, em parte, de comunicados compilados por um ex-agente da inteligência britânica considerado confiável pelos oficiais americanos.
 
O FBI está investigando a credibilidade e a precisão dessas alegações, que são baseadas primariamente em informações de fontes russas, que por sua vez não deram mais detalhes.
 
Os relatórios secretos foram apresentados a Trump na semana passada por quatro chefes da inteligência americana. Uma das razões para incluir o anexo sobre o presidente eleito foi para torná-lo ciente de que essas informações que o envolvem estão circulando entre agências de inteligência, membros do Congresso e outros funcionários governamentais em Washington, disseram as fontes à CNN.
 
A sinopse também foi incluída para demonstrar que a Rússia compilou informações potencialmente prejudiciais aos dois partidos políticos principais dos EUA, mas só divulgou informações negativas de Hillary Clinton e dos democratas.
 
O anexo também incluía alegações de que houve uma contínua troca de informações durante a campanha entre subordinados de Trump e intermediários do governo russo, de acordo com dois funcionários da segurança nacional ouvidos pela CNN.
 
A emissora afirma que tentou falar com a equipe de transição de Trump, mas eles não quiseram comentar.

VITRINE DO CARIRI
G1

Compartilhe isso

Comentários