Sete exposições estão em cartaz na Estação Cabo Branco neste mês de abril

Entretenimento 02/04/2017 às 08:11


 Sete exposições de artes plásticas e visuais podem ser vistas no primeiro pavimento da Torre Mirante da Estação Cabo Branco – Ciência, Cultura e Artes, no Altiplano. Estão em carrtaz: ‘Caminhos de João Vianey’, ‘Bem Natural’ (Tiba Magalhães), ‘Faces’ (Antônio Labas), ‘História dos Orixás’ (Ricardo Pessoa), ‘Entre Páginas’ (Coletiva), exposição de’ Poesia à mão – Haicai e outros poemas’ (Valmir Neves) e’ Memórias de Tobias Sauter’.

O horário de visitação no espaço expositivo é de terça a sexta-feira das 9h às 18h. Sábados, domingos e feriados das 10h às 19h, com entrada gratuita. A exposição ‘Os Caminhos de João Vianey’ ficará em cartaz até o dia 18 de maio e consiste em um retrato espontâneo do próprio universo, em que apresentam influências de elementos que o acompanham desde a juventude.
 
“De um lado, a estética urbana e da cultura pop; do outro, a mata e a praia na sua forma mais crua e selvagem”, comentou João Vianey. São vários tipos de trabalho em pintura e esculturas, composto em madeira num estilo figurativista. Ele dividiu a exposição em três temas: florais, cultura das praias e musical.
 
‘Faces’ – O artista plástico Antônio Labas também está expondo no primeiro pavimento da Torre Mirante. Nela o visitante vai encontrar 90 esculturas, dividida em três séries: ‘Equilíbrio’, que são esculturas produzidas em alumínio policromado, emoldurados por aço; a série ‘Primitivo’, em aço inox e alumínio policromado e a série ‘Todas as Mulheres do Mundo’, que são esculturas em madeira e aço.
 
As peças são bem compostas, com rico acabamento e em tamanhos variados. O tema central é o homem retratado em suas variadas faces. São rostos expressionistas que remetem dor, anseio, angústia, lamento, emoções e multiplicidade de diálogos subjetivos do homem contemporâneo.
 
‘História de Orixás’ – O artista plástico pernambucano Ricardo Pessoa também está expondo na Estação Cabo Branco. Na exposição individual o visitante encontrará 10 xilogravuras de 30 x 40 centímetros com imagens dos orixás, (Oxalá, Iemanjá, Ogum, Oxossi, Exú, Oxum, Xangô, Omulú) e mais a oferenda do menino brasileiro.
 
Nas xilogravuras são elaboradas usando a técnica fechada onde ele valoriza as silhuetas das imagens dos orixás mergulhadas na imensidão do negro, dando a imagem em valor plástico diferente, como se cada xilogravura flutuasse no universo.
 
Sem esquecer o aspecto religioso, a exposição foca, sobretudo na valorização, conhecimento e preservação da cultura de sua etnia. Paralelo à exposição o artista também desenvolve oficinas para crianças e adolescentes mostrando a importância da cultura africana.
 
‘Poesia à mão – Haicai e outros poemas’ – O escritor Valmir Neves está com exposição montada no mesmo local onde apresenta pequenos poemas de sua autoria, postais de poesia, desenho e ilustrações. A influência de Valmir passa por nomes da poesia e música, a exemplo de Paulo Leminski, Manuel de Barros, Roseana Murrai, Cora Coralina, Cecília Meireles, Vinicius de Morais, Caetano Veloso, Jorge Mautner, Mário Quintana, Lúcio Lins, Manoel Bandeira, Augusto dos Anjos e outros. Ele começou a produzir Haicais em 2005 por influência da escritora carioca Paula Ziegler, que hoje se encontra radicada em Brasília (DF).
 
‘Entre Páginas’ – A exposição é resultado da Semana Nacional de Quadrinhos, que aconteceu na casa em fevereiro, e prossegue em cartaz no primeiro pavimento da Torre. Nela o visitante vai encontrar desenhos antigos desenhos e traços da personagem Mônic,a do desenhista Maurício de Souza, Thanos, de autoria de Mike Deodato, Bidu, Papa Capim, Super Woman da DC Comics, Velta, de Emir Ribeiro, Matrioska, de Gabriel Jardim; Primas, de Alberto Pessoa, quadrinho que concorreu ao HQ Mix e outros.
 
‘Memória Tobias Sauter’ (Gira Mundo) – Nesta exposição o visitante vai encontrar obras de sua última exposição ‘Gira Mundo’. São telas e instalações do artista fruto de suas andanças pelo mundo e também de material reciclado que ele catava nas praias de João Pessoa.
 
A artista plástica Lúcia França, explicou que Tobias Sauter estrutura seu trabalho entre o passado e o presente em linhas e formas. São traços, cortes e gestos, transmuta-se a ferrugem em gravura e escultura. A chapa de ferro, plana, cresce rompendo o espaço, nasce à escultura, anima do desenho e do pensamento criativo deste artista intercontinental.
 
Tiba Magalhães – ‘Bem Natural’ é o nome da exposição que o artista abrirá no dia 8 abril na Estação Cabo Branco e que tem em sua composição 15 imagens que expressam um panorama de narrativas do cotidiano, com o mote da visão como elemento que encurta distância. O autor, Tiba, é formado em Artes pela UFPB e em 1995 participou de um curso de Fotografia e Laboratório P&B, promovido pelo Senac.
 
Há vários anos, o setor de cultura do Sesc Centro João Pessoa apresenta as produções dos alunos do curso de Desenho e Pintura. Nesta edição de culminância, o púbico pode conferir 50 obras em estilos variados. Os trabalhos expostos expressam as habilidades treinadas e aprimoradas pelos alunos durante os estudos.
 
Mais informações pelos fones: 3214.8270 – 3214.8303 ou pelo site da Estação (www.joaopessoa.pb.gov.br/estacaocb)
 
SERVIÇO:
 
EXPOSIÇÕES:
 
‘Caminhos de João Vianey’
‘Faces’ – Antônio Labas
‘História dos Orixás’ – Ricardo Pessoa
‘Poesia à mão – Haicai e outros poema’s – Valmir Neves
‘Entre Páginas’
‘Memórias Tobia Sauter’ (Gira Mundo)
‘Bem Natural’ – Tiba Magalhães
Local: Primeiro pavimento da Torre Mirante
 
Horário de visitação: Terça a sexta-feira – 9h às 18h. Sábado, domingo – 10h às 19h
 
Fones: 3214.8270 – 3214.8303
 
www.joaopessoa.pb.gov.br/estacaocb
 
Entrada gratuita
 
 
 

Compartilhe isso

Comentários