Marcelinho segue sem atuar no Treze e CBF rescinde o contrato com o alvinegro

Esporte 05/04/2017 às 20:00


 O Tribunal Regional do Trabalho (TRT) impôs nova derrota à defesa do meia Marcelinho Paraíba, principal contratação do Treze para a temporada 2017.
 
Os advogados do atleta tentaram, através do requerimento de uma “tutela cautelar antecedente”, fazer com que a ação que o jogador moveu contra o Inter de Lages-SC, seu antigo clube, volte para a Justiça Trabalhista paraibana.
 
Em resumo, a defesa pretendia fazer com que o TRT-PB devolvesse a Marcelinho o direito de trabalhar novamente, com seu contrato com o Galo voltando a ter validade perante aos registros da CBF e da Federação Paraibana de Futebol.
 
Isso porque na semana passada, por determinação do desembargador Wolney de Macedo Cordeiro, a entidade máxima do futebol nacional rescindiu o vínculo do atleta com o clube Alvinegro.
 
O caso transcorreu dessa maneira porque, provocado pela defesa do Inter-SC através de uma ação de exceção de incompetência, o magistrado reformou decisão de primeira instância e entendeu que o mérito da ação deverá ser apreciado pela Justiça Trabalhista de Santa Catarina, revogando assim os efeitos da liminar que sustentava o contrato de Marcelinho com o Treze.
 
Nesta terça-feira (04), diante do recurso impetrado pelos advogados do jogador, o desembargador Thiago de Oliveira Andrade (foto) indeferiu o pedido de liminar, impossibilitando assim que Marcelinho Paraíba volte a ter vínculo contratual com o Galo.
 
Como o Treze tem jogo marcado para quinta-feira (06), contra o Serrano, no Amigão, pela 16ª rodada do Paraibano 2017, e o meia continua sem contrato com o Alvinegro, ele não vai poder atuar na partida.
 
Desde que teve seu vínculo com o Galo anulado, Marcelinho segue treinando no estádio Presidente Vargas. O atleta até atuou no último sábado, no PV, em amistoso contra o Sport Campina.

Compartilhe isso

Comentários