Seis estádios da Copa do Mundo de 2014 são alvos da operação Lava Jato

Brasil 14/04/2017 às 19:38


 A construção ou reforma dos estádios que sediaram os jogos da Copa do Mundo 2014 e tornou alvo de investigação na operação Lava Jato. Pelo menos seis praças esportivas podem estar envolvidas em irregularidades.

De acordo com os delatores da Odebrecht,pelo menos seis estádios apresentam indícios de irregularidades: Rio de Janeiro (Maracanã), Brasília (Mané Garrincha),Recife (Arena Pernambuco), Fortaleza (Arena Castelão) e Manaus (Arena da Amazônia). A Arena Corinthians também está sendo investigada, mas o inquérito está sob sigilo do Supremo Tribunal Federal.
 
Segundo os delatores, o Maracanã houve o pagamento de cerca de R$ 120 milhões ao ex-governador Sérgio Cabral e para a campanha do atual governador Luiz Fernando Pezão para o favorecimento em obras. Os custos com a reforma chegaram a R$ 1 bilhão.
 
Na Arena Corinthians a suspeita é de superfaturamento. A obra estava orçada inicialmente para custar R$ 350 milhões,mas o custou no total R$ 1,1 bilhão.
Já na Arena Mané Garrincha, o mais caro da Copa, a suspeita é de que a Odebrecht e a Andrade Gutierrez combinaras os valores que iriam cobrar pela obra, sendo beneciados na licitação. O estádio custou R$ 1,4 bilhão.
 
Nas Arenas Amazônia e Pernambuco,houve suspeita de favorecimento, e combinação de valores. Já na Arena Castelão, a empresa Carioca Engenharia teve a licitação facilitada para ser a responsável pela reforma, mas acabou não vencendo a disputa.

Compartilhe isso

Comentários