Simorion Matos fala sobre a lista da Odebrecht e outros assuntos

Regional 16/04/2017 às 22:29


 CONTAMINAÇÃO GENERALIZADA

 
Se 10% do que tem sido divulgado nas delações da Odebrecht for verdade, vai ser necessário um redescobrimento do Brasil e a aparição de nomes novos na política e na administração pública, para que seja construído um novo parlamento e escolhido um poder executivo imune à corrupção.
 
A lista da Odebrecht aponta que 90% dos partidos e agentes políticos teriam sido beneficiados com propinas e dinheiro de caixa 2 durante anos. Nomes que antes apareciam para a sociedade brasileira como puritanos e inatingíveis são agora acusados de beneficiamento ilícito e do recebimento de propina.
 
Até alguns setores do judiciário estariam contaminados. Pelo quadro que se apresenta hoje, o eleitorado brasileiro teria dificuldade para escolher seus representantes e dirigentes, diante da contaminação generalizada. As opções são pouquíssimas.
 
Será que teremos de importar?
 
CIDADE TURÍSTICA
 
Na semana santa a cidade de Monteiro esteve mais uma vez bastante movimentada, com monteirenses que moram fora voltando para rever as famílias e os amigos, além de inúmeros turistas. O principal ponto de atração foi o Portal das Águas onde, através da transposição, o rio São Francisco deságua no rio Paraíba para prosseguir até Boqueirão.
 
O espetáculo teatral ao ar livre Rei dos Reis, com encenação da vida, morte e ressurreição de Jesus Cristo, apresentado na quinta e na sexta-feira, recebeu um público grandioso e foi muito elogiado. No sábado à tarde o forró correu solto na Churrascaria Cariri e à noite os shows de Flávio José e os irmãos Edson Lima e Batista Lima entusiasmaram os que superlotaram a Estação da Música.
 
ELOGIOS À CIDADE
 
Conversando com centenas de conterrâneos e visitantes durante a semana da páscoa em Monteiro, pudemos sentir o contentamento com o crescimento da cidade, a organização e o desenvolvimento que Monteiro alcançou nos últimos anos. A iluminação ornamental, a sinalização do trânsito, a limpeza, a abertura de novos loteamentos para o desenvolvimento urbano, as praças, a estrutura de saúde e os eventos, são destaques nos comentários.
 
Toda essa guinada foi iniciada a partir de 2009 com o trabalho da então prefeita Edna Henrique e o trabalho continua com a prefeita Anna Lorena. Injetando recursos no comércio local com pagamentos rigorosamente em dia e mantendo um canteiro de obras permanente, o governo municipal viabiliza novos investimentos e atrai empreendedores.
 
GOVERNADOR NA RÁDIO PRINCESA ISABEL
 
O governador Ricardo Coutinho esteve na terça-feira, 11, na Rádio Princesa Isabel AM, concedendo entrevista aos comunicadores Jandui Sabino e Alberto Ribeiro. Durante duas horas de entrevista, o governador fez um balanço das ações do seu governo na região, destacando as obras para melhoramento da estrutura hídrica e pavimentação de estradas. 
 
Acompanhado do Secretário da Comunicação, Luiz Torres; do Secretário Executivo da Comunicação, Tião Lucena; do Chefe de Gabinete Nonato Bandeira e do presidente da CAGEPA, Hélio Cunha Lima, o governador elogiou as ações dos 100 primeiros dias de gestão do prefeito Ricardo Pereira.
 
Na sua entrevista, Ricardo Coutinho elogiou bastante o trabalho da CAGEPA, destacando que a empresa teve superávit financeiro no ano passado e novamente descartou uma possível privatização da concessionária de águas e esgotos da Paraíba.
 
HOMENAGEM A MARCOS FREITAS
 
Justa e merecida a homenagem prestada durante a encenação da Paixão de Cristo em Monteiro ao teatrólogo Marcos Freitas, falecido recentemente em Garanhuns.
 
Marcos Freitas iniciou essas apresentações em Monteiro e desenvolveu o espetáculo A GRANDE CEIA durante um bom tempo, sempre com muito brilhantismo. Realizou um grandioso trabalho cultural, com oficinas permanentes e grandes espetáculos, incentivando os jovens para o movimento teatral.
 
CORREU COM A SELA
 
No meio político paraibano, o tema do momento é a anunciada decisão do deputado Gervásio Maia (PSB) de desistir de disputar o Governo do Estado nas eleições do próximo ano. Pelo fato de Gervásio ter sido escolhido para presidir a Assembléia Legislativa, ele vinha sendo apontado como uma das principais opções do PSB para suceder o governador Ricardo Coutinho.
 
“Ou Gervásio sentiu que não teria o apoio do governador na sua pretensão de disputar o cargo de dirigente maior do Estado, ou de repente sentiu que a disputa não é tão fácil como se imagina, já que a oposição tem nomes muito fortes”, comentou uma raposa da política caririzeira.
                                                                                                                                                        .
PENSAMENTO DA SEMANA:  
                          
“Pequenas oportunidades são muitas vezes o começo de grandes empreendimentos”.
Demóstenes
 
COISAS & CASOS
 
Atendendo vários pedidos, reapresentamos os versos do poeta Firmo Batista, retratando o sentimento dos monteirenses nos idos de 1970, quando o prefeito Arnaldo Lafayette demoliu o correto da Praça João Pessoa, que era o ponto de encontro da boemia e um dos lugares mais tradicionais da cidade.
 
Chorou Zinaldo Romão,
Bague, Fernando e Cici
Romero, Flávio e Sadi,
José Lucena e Bocão.
Adjar e Zé Grampão,
Um chorou, outro sentiu,
Argemiro quando viu,
Logo se emocionou
Todo este povo chorou
Quando o coreto caiu.
 
Paulo de Paizin Romão,
Peba e Luiz Marcelino,
Luizinho Virgulino,
Paulo Nunes, Cacetão,
Natanael e Barrão,
Pepê, chorando saiu,
E quando João Graxa viu
Com Pinincha se abraçou,
Todo este povo chorou,
Quando o coreto caiu.
 
Zé Morato, Zé Tempero,
Rú e Otávio Amador,
E Dóia, o vereador,
Serafim, o Bodegueiro,
Bebete e Biu sapateiro,
Dé Marcelino fugiu.
O pobre Mané Titiu,
Foi costurar, se furou
Todo este povo chorou,
Quando o coreto caiu.
 
Cláudio Leite, Zi Romão,
Jaime Gomes, Ferreirinha,
Zé Gomes e Antonio Rainha,
Dulirio, Luiz Cabeção.
Jota Quinca e Carretão,
Arnaldo Nunes mentiu,
Dizendo que em casa viu
Quando Bira desmaiou
Todo este povo chorou,
Quando o coreto caiu.
 
Léo de Silva Brito e Jú,
Dé de Juza e Severino,
Nezinho e até Silvino,
José do Foto e Tutu,
Temi, só faltava tu
Porém o povo exigiu,
Depois que você saiu,
Preço de cana baixou,
Todo este povo chorou,
Quando o coreto caiu.
 
Zé Torres, Bosco, Mazinho,
Jorge Duarte, Averaldo,
Geraldo e outro Geraldo,
Um caduco, outro branquinho,
Carlos Farias, Marinho,
Doncilio se escapuliu
Pedrosa Amador não viu,
Mas em Brasília sonhou,
Todo este povo chorou,
Quando o coreto caiu.
 
Almir e Joubert Ferreira,
Chico Cirilo e seu mano,
Novinho e José Baiano,
Mário e Antonio Pereira,
Aí seu Pedro Siqueira
Parou o Toyota e viu,
Quis sair, mas não saiu,
No volante desmaiou,
Todo este povo chorou,
Quando o coreto caiu.
 
Santo Barbosa, zangado,
Disse a seu Chico Batinga:
Neste Monteiro não vinga.
Prefeito do meu agrado
O coreto é derrubado,
Porém ninguém dá um piu,
Doutor Ageu construiu,
E Arnaldo derrubou,
Todo este povo chorou,
Quando o coreto caiu.
 
Pedro de Doutor Maninho,
Disse a Gaiamum de Zi,
Gaiamum disse a Didi,
Didi disse pra Carlinho,
Carlinho pra Romãozinho,
Dema contou a Bibiu,
Até Zé Pretinho ouviu,
Quando Humberto reclamou.
Todo este povo chorou,
Quando o coreto caiu.
 
Contatos com a coluna: simorionmatos@gmail.com
 
VITRINE DO CARIRI 
Por Simorion Matos

Compartilhe isso

Comentários