Em audiência de custódia, juíz mantém prisão e Rodolpho segue para presídio

Policial 25/04/2017 às 20:25


 Em audiência de custódia realizada na tarde desta terça-feira (25), o juiz titular do 1º Tribunal do Júri da Capital, Marcos William, decidiu pela prisão de Rodolpho Carlos Gonçalves da Silva, acusado de atropelar e matar o agente de trânsito Diogo Nascimento durante uma blitz da lei seca no bairro do Bessa.

Rodolpho Carlos foi preso nessa segunda-feira (24), no prédio em casa, no bairro de Manaíra, e levado para a carceragem da Central de Polícia Civil, no Geisel, onde aguardou pela audiência.
 
A audiência contou com a presença de familiares, amigos e companheiros de trabalho de Diogo.
 
O CRIME
 
O crime aconteceu na madrugada do dia 21 de janeiro durante uma blitz da Lei Seca em João Pessoa. Diogo foi atropelado quando trabalhava em uma operação da Lei Seca. Ele chegou a ser socorrido para o Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, mas morreu.
 
Com o impacto da colisão, a plca do veículo porsche ficou no local e o suspeito foi identificado como sendo Rodolpho Gonçalves Carlos da Silva. Ele teria desobedecido ordem de parada e avançado com o veículo sobre o agente.
 
A Justiça chegou a pedir a prisão de Rodolpho, mas o desembargador Joás de Brito concedeu habeas corpus na madrugada do dia 22 de janeiro, antes mesmo de o suspeito ser detido. A Polícia Civil e o Ministério Público da Paraíba formularam novo pedido de prisão de Rodolpho. No entanto, a Câmara Criminal do Tribunal de Justiça da Paraíba decidiu, em sessão no dia 7 de março, não reavaliar o habeas corpus concedido a Rodolpho. A decisão argumentou que o processo “perdeu o objeto, uma vez que Rodolpho já se tornou réu”.

Compartilhe isso

Comentários