Contrato para exibição de amistosos da seleção impôs censura a Pelé

Esporte 22/06/2017 às 21:38


 Em contrato firmado entre a CBF e a EBC (Empresa Brasil de Comunicação) para a transmissão dos jogos da seleção brasileira na TV Brasil, a estatal impôs censura à confederação, segundo informação divulgada pela "Agência Sportlight" nesta quinta-feira (22).

Por cláusula, a equipe de transmissão contratada pela CBF, com a participação de Pelé, estava proibida de fazer "comentários de cunho político e eleitoral".
 
O ex-jogador Denílson, o narrador Nivaldo Prieto, o ex-árbitro Rodrigo Cintra e o repórter Gregório Fernandes completaram o time que cuidou da exibição dos amistosos contra Argentina e Austrália, neste mês.
 
O contrato entre CBF e EBC foi firmado em 2 de junho, uma semana antes de duelo com a Argentina, na Austrália. A confederação pagou R$ 30 mil à estatal para liberar a transmissão.
 
O contrato entre a estatal e a confederação também expressou a proibição da veiculação de peças publicitárias com mensagens políticas.
 
Em uma ruptura comercial com a Globo, a CBF veiculou o clássico sul-americano e um amistoso contra a Austrália em diferentes mídias. Participaram da empreitada: TV Cultura, TV Brasil, o site UOL, empresa do Grupo Folha, que edita a Folha de S. Paulo, a rede social Facebook e uma plataforma mobile da Vivo, sua patrocinadora.
 
Ao assumir controle sobre a transmissão dos amistosos da seleção brasileira, a CBF pretende eliminar intermediários e aumentar seu faturamento em negociações com o mercado publicitário.
 
A Globo tem os direitos de transmissão das partidas pelas eliminatórias para a Copa da Rússia, em 2018. Também exibirá o Mundial. Para as próximas eliminatórias, porém, não há contrato assinado. A CBF, inclusive, já estuda adotar para essa competição seu novo modelo de negócios.
 
As partidas contra Argentina e Austrália não renderam à confederação uma audiência expressiva. Somados os números de TV Cultura e TV Brasil, os amistosos atingiram, respectivamente, 2,9 e 2,4 pontos.
 
A Globo liderou ambos os horários, passando dos 11 pontos em média. Cada ponto equivale a 199, 3 mil espectadores na Grande São Paulo.
 
OUTRO LADO
 
A CBF afirmou que não se pronuncia sobre seus contratos comerciais. A EBC informou que "o contrato reproduziu o que está previsto no parágrafo 1º do artigo 3º da legislação que rege a EBC (Lei nº 11.652/2008), que dispõe: 'é vedada qualquer forma de proselitismo na programação das emissoras públicas de radiodifusão'".
 
Comentarista, Pelé não foi encontrado até o fechamento dessa edição. O ex-jogador recebeu cerca de R$ 400 mil para comentar os amistosos, conforme revelou a Folha de S. Paulo. Com informações da Folhapress.

Compartilhe isso

Comentários