Município de Monteiro tem representação na capacitação do Programa Criança Feliz

Regional 12/07/2017 às 16:31


 O supervisor Osmando Silva, da Secretaria de Desenvolvimento Social da cidade de Monteiro está participando de uma capacitação para a implantação do programa social do Governo Federal, Criança Feliz que tem por objetivo de licenciar supervisores municipais com relação às visitas domiciliares e nos Cuidados do Desenvolvimento da Criança (CDC) previstos pelo programa do Governo Federal.

Para a Secretária Rosa Aleixo, Desenvolvimento Social, é de suma importância a disposição entre todos os setores envolvidos e a execução do programa para que haja promoção do desenvolvimento infantil integral e da cidadania: "Buscamos sempre oferecer apoio aos monteirenses mesmo antes de nascerem através de uma rede assistencial promovida como política pública, e isso se traduz em incentivo à formação da cidadania, do respeito familiar, da proteção e educação por toda uma vida. Com o Criança Feliz, Monteiro ganha ainda mais”.
 
O programa Criança Feliz do Governo Federal tem o objetivo de promover o desenvolvimento integral das crianças na primeira infância, ao considerar sua família e seu contexto de vida. Seu público é formado por gestantes e crianças em situação de vulnerabilidade social que estão inseridos dentro de dois grupos: I – famílias com gestantes e crianças de até 36 meses beneficiárias do Programa Bolsa Família e crianças de até 72 meses beneficiárias do Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social; e II – crianças de até 72 meses afastadas do convívio familiar em razão de aplicação de medida de proteção.
 
“Estamos muito contentes porque algumas das ações que serão desenvolvidas no município constam visitas domiciliares, qualificação da oferta de serviços socioassistenciais e isso fortalecerá ainda mais as articulações entre a Secretaria e o cidadão. Este é um programa que envolve assistência social e muitas outras políticas públicas do município, dentre elas a Saúde e a Educação” disse Osmando.
 
Uma das exigências do programa é à disposição de um CRAS (Centro de Referência de Assistência Social) com uma estrutura física adequada e várias atividades em andamento e contar com pelo menos 140 indivíduos do grupo prioritário do programa.
 

Compartilhe isso

Comentários