Em busca de salvação, Temer libera R$ 40 mi em emendas de paraibanos

Política 15/07/2017 às 09:48


 A caneta tem pesado na operação desencadeada pelo presidente Michel Temer (PMDB) para evitar a admissibilidade da investigação contra ele. O tema será votado pelo plenário da Câmara dos Deputados no dia 2 de agosto. Para não ter o processo tramitando no Supremo Tribunal Federal (STF), basta o apoio de 172 parlamentares, ou seja, um terço do total. As denúncias indicam a liberação de quase R$ 2 bilhões em emendas pelo Planalto para parlamentares aliados. Isso pode ser visto na Paraíba. Dos 15 parlamentares (três senadores e 12 deputados), pelo menos treze tiveram emendas empenhadas. O montante prometido para a Paraíba é superior a R$ 39 milhões.

 
E não falta bondade com os parlamentares simpáticos ao presidente. O senador Raimundo Lira (PMDB), que recentemente aceitou o comando do PMDB no Senado, teve empenhados R$ 5,4 milhões. Ele passou, com isso, a ser o mais agraciado com emendas da Paraíba. Mas não era assim antes. Afinal, das emendas já pagas, ele teve apenas R$ 3,4 milhões. Entre os senadores, o senador José Maranhão (PMDB) também teve bom desempenho no “feirão”. Ele teve empenhados R$ 3,5 milhões. Para se analisar o outro lado da moeda, basta ver a situação do também senador Cássio Cunha Lima (PSDB). O tucano se posicionou contra a continuidade de Michel Temer no poder. E qual foi o resultado disso? Zero de suas emendas aprovadas.
 
Agora vamos ao que mais interessa: o caso dos deputados que podem livrar a cara do presidente. Basta olhar a situação dos peemedebistas, a turma do mesmo partido de Temer. Hugo Motta e André Amaral se posicionam a favor da improcedência da ação contra o gestor. O primeiro teve R$ 5 milhões empenhados e o segundo R$ 3,3 milhões. O deputado Veneziano Vital do Rêgo, também filiado ao PMDB, teve zero de emendas. Tudo por que ele anunciou que vai votar pela procedência da ação. Ou seja, vai se posicionar contra o gestor e vinha fazendo isso em outras votações. A regra vale para todos os partidos. Se for simpático ao governo, sua vida está feita. Se for contrário…
 
O líder do governo na Câmara dos Deputados, Aguinaldo Ribeiro (PP), teve empenhados R$ 4,7 milhões em emendas. Rômulo Gouveia (PSD) teve prometidos a ele R$ 4,8 milhões. Damião Feliciano (PDT), o mesmo que se posicionou várias vezes contra o presidente, manteve discrição nos últimos dias e, com isso, teve assegurados R$ 5 milhões. Wilson Filho (PTB), que se reuniu com Michel Temer recentemente e não revelou como pretende votar, recebeu a promessa de liberação de R$ 4,7 milhões. O líder do DEM, Efraim Filho, teve empenhados R$ 4,5 milhões. Do lado menos verde do campo, o oposicionista, além de Veneziano e Cássio, Luiz Couto (PT) aparece com apenas R$ 1 mil empenhado.

Compartilhe isso

Comentários