Bandas universitárias disputam final da vaga para tocar no Rock In Rio

Cultura 06/08/2017 às 11:50


 Já imaginou ter um dia de rock star e tocar no maior festival de música do planeta? É o que vai acontecer com uma das três bandas universitárias cariocas que disputam a final do 1º Festival Musical Universitário, o FMU2017. Promovido pela Coordenadoria de Juventude da Prefeitura do Rio, o concurso terá sua prova de fogo neste domingo, dia 6, a partir das 16h30, no Teatro de Câmara, na Cidade das Artes, Barra da Tijuca. A campeã vai se apresentar no Rock District, ao lado de muitos dos artistas mais famosos do mundo que estarão no palco do Rock In Rio. 

O projeto inovador começou a ganhar vida em março, com as inscrições por vídeo que aconteceram entre junho e julho. Ao todo, foram 257 bandas de 15 campus do circuito universitário carioca, com unidades como a UFRJ, PUC, IBMEC e FGV. Formada por membros da Coordenadoria de Juventude da Prefeitura, a comissão julgadora selecionou os dez melhores grupos que participaram da semifinal ao vivo no último domingo, dia 30. Representado pelo baixista Liminha, que integrou a banda Os Mutantes, o Júri avaliou os quesitos de harmonia musical, melodia, ritmo, interpretação e presença de palco. 
 
- Trabalhamos desde março para dar ao público uma competição à altura do Rock in Rio nesse concurso inédito promovido pela Prefeitura. Recebemos vídeos de todas as regiões da cidade, com grande variedade e qualidade musical. A semifinal teve uma disputa bastante acirrada. A diferença entre as bandas foi de centésimos - disse André Marinho, à frente das Relações Institucionais da Coordenadoria de Juventude da Prefeitura e apresentador da grande final. 
 
As bandas finalistas são Memora, Radioativa e Valuá. Elas serão julgadas por um júri com nomes de peso como o empresário Ricardo Amaral; o compositor e saxofonista George Israel, ex-integrante do Kid Abelha; Marisa Menezes, diretora artística nacional do Rock in Rio; Mauro Berman, produtor musical do Rock in Rio; o cantor e compositor Dani Flomin; e Thomaz Naves, presidente da Associação Brasileira de Marketing e Negócios. 
 
PERFIL DAS BANDAS
 
Valuá - A Valuá começou nos corredores do Colégio Padre Antônio Vieira em 2011, quando Rodrigo Reis (vocal), Carlo Aquino (baixo), Bernardo Ibeas (guitarra) e Gabriel Leite (bateria) se uniram para formar uma banda que tocasse aquilo que ouviam: muito do rock clássico dos anos 70 e as psicodélicas dos 60, em meio a pitadas de blues e rock nacional. Nesse caldeirão foram adicionando diferentes influências que hoje constituem o som afiado do grupo que ganhou palcos como o da Casa da Matriz e tocou em festivais de grande porte, entre eles, Mundial de la Bière e Babilônia Feira Hype. Em 2016, a Valuá assinou com o selo Paravox, do músico e produtor Carlos Trilha, e lançou o single Perguntas. Atualmente, a banda trabalha no lançamento do primeiro EP que ocorrerá no segundo semestre de 2017. 
 
Memora - A banda foi fundada em 2012 por Rafael Lima (vocalista e guitarrista) Rod Xavier (vocalista e guitarrista), Filipe Lima e William Mardônio Jr (baterista, loops e sequencers). A Memora é uma fusão das diversas referências musicais dos quatro músicos que vão do indie ao funk rock, com versos que falam de amor, fé e esperança na vida. Com um EP e um clipe, a banda conquistou destaques na cena underground do país, tendo no currículo palcos de grandes casas como o Imperator e Teatro Odisséia e eventos como a Semana do Rock e shows até em outros estados, como Minas Gerais e São Paulo. A Memora figurou também entre as bandas mais tocadas no programa “A Vez do Brasil” da extinta Rádio Cidade, uma das maiores rádio rock da época. Com mais um músico, Lucas Soares no baixo, a banda grava seu primeiro álbum no lendário estúdio Toca do Bandido. 
 
Radioativa - A banda foi formada em 2009 em Jacarepaguá, Zona Oeste do Rio, por um grupo de jovens que queriam montar uma banda para fazer rock n’roll que equilibra o instrumental pesado com vocais suaves. O quinteto com Ana Marques (vocal), Felipe Pessanha (guitarra e sintetizador), Fabricio Oliveira (guitarra), Rodrigo Aranha (bateria) e Cris Gadelha (baixo) impressiona com sua performance enérgica e contagiante. Seu segundo EP, “Se Ainda Há Razão”, esteve presente na programação da Play TV e da extinta Rádio Cidade. Com muita experiência, a Radioativa já dividiu o palco com bandas como Fresno, Scalene, Supercombo, Far From Alaska, Chunk! e No, Captain Chunk!, na França. Este ano, a Radioativa foi selecionada entre bandas do país inteiro para abrir o show do Evanescence em São Paulo.

Compartilhe isso

Comentários