Em novo artigo, Evaldo Gonçalves fala sobre "Pelo Interesse Público..."

Regional 08/08/2017 às 08:37


 Todo benefício público, sobretudo envolvendo a distribuição d`àgua, deve ser comprometido com o interesse coletivo. Ou seja, as águas do São Francisco, recém-chegadas à Paraíba, não podem ter suas finalidades desvirtuadas para outro destino senão para o consumo humano, nas Cidades e Distritos.

 
Por mais abundantes que sejam, e não o são, sobretudo no nordeste brasileiro, para onde tais riquezas hídricas estão sendo dirigidas, e seus invernos são irregulares, impõe-se uma administração honesta para que aconteça uma correta distribuição.
 
A imprensa paraibana tem divulgado criminosos barramentos e extensões, não autorizados pela administração das águas do São Francisco, caracterizando-se tais procedimentos como ação imprópria, não somente do ponto de vista do Código Penal, mas igualmente pelo prejuízo social que provocam às populações beneficiarias.
 
Abastecimentos d`água para Cidades e Distritos são obras de interesse público, e jamais poderão ser usadas para fins particulares, desviando-os para uso privado, constituindo tal prática crime contra a Ordem Pública.
 
Ainda bem que o Governo do Estado e o Ministério Público, conscientes da gravidade de tais atentados ao interesse público, estão adotando eficientes providências a fim de evitar tais procedimentos lesivos, sob todos os aspectos, ao sagrado direito de usufruir, legalmente, um dos mais indispensáveis Bens da Vida.
 
Campina Grande tem reclamado de crise no seu Abastecimento de água, atribuindo tais desvios e deficiências a tais expedientes criminosos, comprometendo a Adutora que abastece à cidade, cenários comuns, antes da Transposição, quando a captação acontecia exclusivamente no Açude de Boqueirão Tais desvios eram praticados por produtores rurais, visando à disponibilidade do benefício, a custo zero, em detrimento do volume total da água destinado ao abastecimento de Campina.
 
Ainda bem que o Governo da Paraíba está atento à missão de preservar o uso das águas acumuladas para demandas coletivas, não transigindo com práticas criminosas que atentem contra o interesse público.
 
Evaldo Gonçalves é da APL e IHGP
 
VITRINE DO CARIRI
Por Evaldo Gonçalves

Compartilhe isso

Comentários