Violência: Em 24 horas, quatro policiais são assassinados no Rio de Janeiro

Brasil 12/08/2017 às 21:32


 Entre a tarde de sexta-feira (11) e a deste sábado (12), três PMs (policiais militares) e um policial civil foram assassinados no Rio de Janeiro. Segundo a Polícia Militar, 97 agentes da corporação foram mortos a tiros neste ano.

 
Na tarde deste sábado, o soldado Vaine Luiz dos Santos Ferreira, 33, morreu depois de ter sido baleado em Olinda, bairro de Nilópolis, Baixada Fluminense. Ferreira estava lotado na companhia da Maré e integrava as fileiras da PM havia quatro anos.
 
Segundo a Polícia Civil, ele foi morto a tiros no quintal de casa pelo cunhado, que é guarda municipal. O suspeito, que mora no mesmo quintal da vítima, fugiu do local. De acordo com informações preliminares, o soldado foi baleado sete vezes após uma discussão por causa do terreno onde viviam.
 
Menos de 24 horas antes da morte do soldado em Nilópolis, outros dois PMs e um policial civil foram mortos no Rio. A cabo Elisângela Bessa Cordeiro, 41, na madrugada de sábado; o soldado Samir da Silva Oliveira, 37, na noite de sexta; e o policial civil Bruno Guimarães Bühler, 36, da Core (Coordenadoria de Recursos Especiais), na tarde de sexta.
 
ASSALTO A CARRO
 
Segundo a PM, a cabo Elisângela foi baleada na cabeça durante um assalto na avenida Brasil, próximo à esquina com a avenida Pastor Martin Luther King, no bairro de Coelho Neto, zona norte.
 
De acordo com investigações da Polícia Civil, Elisângela estava com o marido dentro de um carro na avenida Brasil quando foram abordados por assaltantes que queriam roubar o veículo. Ao perceberem que a mulher era policial, atiraram na cabeça dela.
 
O Corpo de Bombeiros foi acionado e chegou a socorrer Elisângela para o Hospital Central da Polícia Militar, no bairro do Estácio, centro do Rio, mas ela não resistiu e morreu.
 
ATAQUE NO MÉIER
 
Já o soldado Samir da Silva Oliveira, 37, lotado da UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) São João, foi morto enquanto fazia patrulhamento na rua 24 de Maio, no Méier, também na zona norte. PMs abordaram um carro suspeito no local e foram recebidos a tiros.
 
O soldado foi baleado no rosto. Chegou a ser levado para o Hospital Municipal Salgado Filho, mas morreu no local.
 
Três homens, um deles suspeito de participar da morte do policial, foram detidos na manhã deste sábado, segundo a PM.
 
OPERAÇÃO CONTRA O TRÁFICO
 
O policial civil Bruno Guimarães Bühler, 36, da Core (Coordenadoria de Recursos Especiais), foi morto com um tiro no pescoço em um tiroteio na comunidade do Jacarezinho, zona norte do Rio de Janeiro, na tarde de sexta. Segundo nota do hospital onde o policial foi atendido, Bühler chegou ao local em estado grave.
 
"A equipe médica realizou todos os procedimentos para reanimação, porém sem sucesso e o paciente veio a óbito", informou.
 
Bühler participava de uma operação policial de combate ao tráfico de drogas que começou pela manhã de sexta e prendeu 15 pessoas –das quais quatro são apontadas como gerentes do tráfico– e apreendeu 32 motos e 38 carros roubados, além de drogas. A intenção da polícia era cumprir 23 mandados de prisão.
 
97 EM 8 MESES
 
De acordo com dados da PM, atualizados às 15h30 deste sábado, são 97 policiais militares mortos de forma violenta no Rio neste ano. Do total, 21 morreram em serviço; 56, de folga; e 20 eram policiais reformados.
 
Também neste ano, segundo a PM, 305 policiais ficaram feridos durante ações violentas, sendo 213 em serviço; 86, durante a folga; além de seis policiais reformados.
 
Forças Armadas no

Compartilhe isso

Comentários