Taylor Swift testemunha contra homem que a assediou sexualmente em 2013

Entretenimento 12/08/2017 às 21:50


 Em 2013, durante um meet and greet Taylor Swift viveu um momento que a assusta até hoje. Enquanto conhecia as pessoas na fila do seu show, ela parou para tirar uma foto com um DJ chamado David Mueller. Segundo a cantora, ao posar para as fotos, ele teria apalpado a nádega dela, removendo até um pedaço de sua saia no ato.

 
Alguns dias depois, o DJ foi demitido do seu programa de rádio e a processou alegando que ela o fez perder o emprego. Além disso, ele afirma que Taylor quer destruir a reputação dele. A cantora o processou de volta e quinta-feira (10/8) foi ao tribunal testemunhar.
 
A versão de David é que ele teria encostado nela sem querer e achou que estava tocando nas costelas da cantora. Quando o advogado dele perguntou para Taylor no tribunal como ela se sentia sobre a demissão de David, ela disparou: “Não vou deixar que você e seu cliente façam eu me sentir culpada por isso”.
 
“Aqui estamos alguns anos depois e eu continuo levando a culpa pelos eventos infelizes da vida dele, que são produtos das escolhas dele, não das minhas”, continuou. No tribunal, a mãe da cantora também testemunhou: “Taylor ficou muito abalada. Não queria que ela tivesse que reviver essa momento de novo e de novo”.
 
A cantora falou com convicção que foi uma apalpada muito longa e completamente intencional: “Nunca tive tanta certeza na minha vida”. O advogado do DJ disse que talvez Taylor tenha confundido David com outro homem que estava no meet and greet. “Aconteceu comigo, eu sei que foi ele. Eu poderia ter identificá-lo em uma fila com mil pessoas”, confirmou mais uma vez a cantora.
 
De acordo com o The Guardian, David pede para ser compensado com pelo menos três milhões de dólares, enquanto Taylor pede por um dólar. Os advogados da cantora afirmam que David a processou para conseguir dinheiro e fama. O julgamento tem previsão de terminar até a próxima quinta-feira (17).
 

Compartilhe isso

Comentários