Preço do etanol tem recuo médio de 2,64% na Paraíba, e cai em 15 Estados

Paraíba 30/08/2017 às 13:45


 Os preços do etanol hidratado nos postos brasileiros recuaram em 15 Estados brasileiros e no Distrito Federal na semana passada, segundo levantamento da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) compilado pelo AE-Taxas. Outras nove unidades da Federação registraram alta nos preços e em Roraima houve estabilidade. A ANP segue sem divulgar os valores nos postos do Amapá.

Em São Paulo, principal Estado produtor e consumidor, a cotação média do hidratado recuou 0,12% na semana passada, de R$ 2,406 para R$ 2,403 o litro. No entanto, no período de um mês os preços do combustível subiram 11,87% nos postos paulistas.
 
A maior queda semanal, de 6,35%, ocorreu em Goiás.
 
Na Paraíba o recuo médio foi de 2,64%. Na média dos postos brasileiros pesquisados pela ANP, houve baixa de 0,61% no preço do etanol na semana passada sobre a anterior.
 
No período de um mês, os valores do etanol recuaram apenas em Roraima, em 2,17%, e no Maranhão, com 1,16%.
 
O maior aumento combustível na semana passada, de 3,48%, foi em Alagoas. Os maiores reajustes mensais foram em Mato Grosso, de 12,33%, e em São Paulo, de 11,87%. Na média brasileira, o preço do médio do etanol nos postos brasileiros pesquisados pela ANP acumulou aumento de 9,07% no período de um mês.
 
No Brasil, o preço mínimo registrado na semana para o etanol em um posto foi de R$ 1,97 o litro, em São Paulo, e o máximo individual foi de R$ 4,444 o litro, no Rio Grande do Sul. O menor preço médio estadual foi de R$ 2,377 o litro, em São Paulo, e o maior preço médio foi verificado no Acre, de R$ 3,63 o litro.
 
Competitividade
 
Os preços médios do etanol hidratado seguem competitivos com os da gasolina em São Paulo e em Mato Grosso. Em Minas Gerais e em Goiás, o preço do biocombustível voltou a ser competitivo na semana passada, após um período de desvantagem nos dois Estados.
 
O levantamento considera que o combustível de cana, por ter menor poder calorífico, tenha um preço limite de 70% do derivado de petróleo nos postos para ser considerado vantajoso.
 
Em Mato Grosso, onde o etanol está mais competitivo, o combustível é vendido em média por 62,82% do preço da gasolina. Em São Paulo a paridade está em 67,61% e em Minas Gerais o etanol custa em média, 69,25% do preço da gasolina e em Goiás a paridade é de 69,30%.
 
A gasolina segue mais vantajosa principalmente em Roraima. Naquele Estado, onde não há fabricação de álcool e há dificuldade logística para o recebimento do combustível das regiões produtoras, o preço do etanol está em 97,06% do cobrado em média pela gasolina.
 
 

Compartilhe isso

Comentários