Missão São Francisco resgata jovens carentes por meio de música e cultura

Cultura 01/09/2017 às 11:52


 Utilizar as artes e a cultura sacra para tocar o coração das pessoas foi a forma encontrada pelo grupo católico Missão São Francisco para resgatar e envolver jovens de comunidades em situação de vulnerabilidade em João Pessoa. Fundada no bairro de Mangabeira, no dia de Pentecostes em 2011, a Missão mostra sua música religiosa autoral neste segundo episódio da segunda temporada do programa Som Nascente.

 
Liderada pelo casal Ivaldo Dias e Raquel Macedo, a missão começou como um grupo de louvor da Paróquia São Francisco de Assis, que se tornou padroeiro da missão. “Existiam na paróquia umas missas de cura e libertação onde conseguimos muitas graças. Eu fui convertido ao catolicismo numa destas missas e escolhi ampliar essa ideia criando a missão”, explica Ivaldo.
 
Missão São Francisco no Som Nascente - Música 1
 
Um ano depois, a missão cresceu e passou a promover assistência comunitária no bairro de Mangabeira, por meio de projetos sociais como sopão solidário e entrega de roupas e alimentos. Durante este período, os membros da missão começaram a realizar eventos de louvor e cura interior em outras cidades da Paraíba.
 
Ivaldo, que antes de se converter tocava em bandas baile de João Pessoa, contou que começou a escrever louvores quando o vocalista saiu do ministério da paróquia. “Eu já tocava como baterista na igreja. Daí certa vez o vocalista saiu e eu assumi os vocais. Pouco tempo depois, já com a missão, eu comecei a compor também. As músicas são todas baseadas na Eucaristia, visando levar o sentimento de amor ao Cristo crucificado e do amor Dele para a comunidade”, explica.
 
Missão São Francisco no Som Nascente - Música 2
 
Fé em Nossa Senhora e em São Francisco
 
A fé da missão também é representada nas apresentações do grupo em outros municípios. Além de levar o nome de São Francisco de Assis, em cada apresentação a Missão utiliza no palco uma imagem consagrada de Nossa Senhora de Fátima.
 
“A imagem é importante porque temos a oportunidade de representar nossa religião e exteriorizar, pela música aquilo que está dentro de nós. Um dos melhores instrumentos de levar a fé aos fiéis é convertê-los através da música. A Virgem Maria tem intercedido por nós e por isso sempre que saímos da comunidade, levamos a imagem dela. Não pela imagem em si, mas pelo que ela representa dentro de nós”, comenta Raquel Macedo.
 
A escolha de levar o nome de São Francisco também tem a ver com o que o santo representa. “Levamos ele como modelo de santidade, humildade e obediência. Obediência que nos rege, santidade que nós seguimos e humildade como o respeito ao próximo, à nossa fé e principalmente à fé dos outros. Para podermos ser melhores irmãos, precisamos respeitar a fé dos outros e não atacar ou fazer algo contra aquela fé, mas sim a humildade de ter respeito”, completa Ivaldo.
 
Gravação de EP
 
Uma das metas da missão para este ano é reunir todas as composições próprias em um EP, que tem o objetivo de solidificar a fé em Jesus Cristo, segundo o vocalista do grupo. “Além destas três músicas que cantamos no programa, também tem outras composições que representam o momento de interiorização com Deus que todos os fiéis vivem. Essa questão do que pensar, do que pedir, como pedir, como seguir um caminho cristão, de santidade. É isso que queremos mostrar”, diz Ivaldo.
 
Entre as letras, estão canções como Leva-me Além (confira no vídeo acima), que foi escrita diante de uma cruz, na sede da missão. “Vi essa necessidade de pedir forças a Jesus e ao Espírito Santo para que nos levasse além de onde podemos ir, de ter forças para superar e ir além de nossas dores. A música fala disso, de poder ir além e mudar o contexto de nossa vida”, comenta o compositor.

Compartilhe isso

Comentários