Casarão onde João Pessoa morou segue em ruínas e projeto não sai do papel

Entretenimento 04/09/2017 às 21:37


Entre escolas, em frente à Praça da Independência, no Centro de João Pessoa, um casarão em ruínas seria igual aos demais que compõem o Centro Histórico da cidade. Exceto pelo fato de que a casa em questão foi residência do ex-presidente da Paraíba, João Pessoa, o homem que deu nome à capital paraibana.

Em 2005 foi firmado um convênio com o governo federal para reforma do prédio e adequá-lo para se tornar o Museu da Cidade. Em 2007, o governo estadual contratou uma empreiteira por meio de licitação e foram feitos os primeiros empenhos, conforme registros do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE-PB). Placas indicando as reformas chegaram a ser instaladas mas, assim como o próprio casarão, elas sucumbiram à ação do tempo.

Sete anos após o início do que viria a ser a obra, em 2014 o projeto de entregar o museu da cidade Império e Repúblico chegava ao fim. Conforme o Ministério do Turismo, até aquele ano, havia sido repassado R$ 700 mil ao governo para construção do museu, valor que foi devolvido pelo governo estadual. A quantia corrigida pelos sete anos de convênio chegou a algo em torno de R$ 1,2 milhão.

Valor arquitetônico e material

A historiadora e restauradora de prédios tombados Raquel Miranda Carmona avalia que o museu teria valor cultural tanto arquitetônico, quanto material. “O estado do que viria a ser o museu era ruim quando foi iniciado o projeto, agora está péssimo. Seria um museu com valor tanto arquitetônico, como na representação do material da cidade em seu interior, localizado em uma das praças mais bonitas do Brasil”, acredita.

A Praça da Independência, onde está localizado o casarão do ex-presidente do estado, como eram chamados os governadores na época, também é tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). O local foi projetada pelo arquiteto pernambucano Roberto Burle Marx.

Sobre a falta de rumo para a casa e com o fim oficial do projeto de revitalização do prédio, Raquel Miranda Carmona lamenta o impasse. “Deveria ser um museu com a história viva para mostrar para estudantes, alunos, para ser um atrativo para turistas, até para o próprio paraibano conhecer um pouco da sua história e reforçar sua identidade. Sentimos falta disso. O turista vem para conhecer o Centro Histórico de João Pessoa e muitas vezes acaba conhecendo uma porta fechada”, avaliou.

De acordo com a diretora executiva do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Estado da Paraíba (Iphaep), Cassandra Figueiredo, a reforma e a implantação do casarão não foram executados porque o governo da Paraíba não acompanhou e executou o convênio firmado junto ao ministério do Turismo. Ela explicou que a antiga residência de João Pessoa pertence ao governo da Paraíba e um novo projeto deve ser iniciado para revitalização do casarão.

“Iremos fazer um novo projeto para sairmos em busca de novos recursos. Se não for para instalar um museu no local, como era o projeto anterior, mas para recuperar a casa, que neste momento está em péssimas condições. Existe uma consciência, uma vontade política, e por isso acredito que vamos conseguir o recurso necessário para recuperação do prédio”, explicou.

 

Compartilhe isso

Comentários