Seleção oscila contra a Colômbia, mas agrada Tite: 'Foi um grande jogo'

Esporte 06/09/2017 às 09:18


 Movimentos táticos têm muita importância em futebol. Mas o jogo também pertence aos jogadores, capazes de modificar rumos num lance imprevisto, imarcável.

 
Um destes foi o chute de Willian, que assegurou o empate da seleção brasileira na primeira partida sob o comando de Tite em que não se impôs claramente, não foi a dona do jogo.
 
O 1 a 1 refletiu uma partida equilibrada, de bons momentos técnicos e chances de gol. Contra um rival que precisava competir pelos pontos, empurrado por sua gente, num ambiente espetacular de estádio e sob forte calor, a seleção passou por um exercício de encontrar soluções em parte do jogo. Nem sempre tudo funcionou às mil maravilhas, e o time foi se estabilizando ao longo da partida. Talvez por isso, Tite tenha se mostrado satisfeito. Jogos assim ajudam a produzir ajustes.
 
— Foi um grande jogo. E, levando em conta o desempenho linear ao longo da partida, gostei mais do que contra o Equador — disse o técnico.
 
Sai fortalecido Willian. Foi titular ontem e contra o Equador na vaga de Philippe Coutinho. Ao lançar o meia do Liverpool, o técnico mexeu no sistema para não retirar Willian, que retribuiu com dois ótimos jogos.
 
No início, a seleção sofreu contra uma marcação de saída de bola e um jogo físico da Colômbia. Na hora de atacar, era muito mais frequente do que o habitual ver jogadores brasileiros dependentes de ações individuais, sem a aproximação que permitisse trocar passes.
 
A Colômbia levou perigo pelos lados: na esquerda, Neymar recompõe menos, com isso, James Rodríguez se juntava a Cuadrado e Árias para trabalhar. Na direita, Willian demorava a entender a movimentação de Cardona.
 
Neymar foi um pouco a imagem do time. Foi crescendo junto com a seleção. Preocupa que, de novo, não tenha feito uma de suas melhores partidas, que tenha tido mais erros técnicos do que o habitual, mas no início pareceu sem sócios. O time cresceu quando o craque tentou receber bolas pelo meio e buscou tabelas com Firmino. Assim surgiu uma das boas chances do Brasil. No segundo tempo, quase foi decisivo em três lances.
 
Firmino, outro testado, teve dificuldades. Fez toda a movimentação de saída da área e busca de tabelas que Tite previa, mas foi muito impreciso.
 
— Quando se trata da construção ofensiva, é mais difícil. Requer entendimento — defendeu o treinador.

Compartilhe isso

Comentários