Brasil também estuda retirar das ruas carros a gasolina e diesel em 2040

Brasil 06/09/2017 às 17:03


 Após a França e o Reino Unido, o Brasil pode se tornar mais um dos países a abolir os carros movidos a gasolina e diesel das ruas.

A proposta brasileira, apresentada pelo senador Ciro Nogueira (PP-PI) por meio do projeto PLS 304/2017 tem duas etapas. Na primeira, não poderão ser mais comercializados automóveis a diesel ou gasolina no país a partir de 2030. Já em 2040, o projeto dá um passo ousado e determina o banimento de todos os carros movidos a combustíveis fósseis das ruas do Brasil. Com isso, além dos automóveis com motores a gasolina e diesel, os movidos a gás natural, por exemplo, também deveriam ser retirados das vias.
 
Durante entrevista para a Rádio Senado, o próprio senador reconhece a ousadia do projeto, mas aponta que o banimento dos carros movidos a combustíveis fósseis é uma tendência global. “Diversos países e algumas montadoras, como a Volvo, já anunciaram medidas nessa linha e nós precisamos iniciar essa discussão em nosso país. É lógico que esse projeto ainda está no início e, assim que um relator for apontado, todos os envolvidos, como a indústria automobilística e os setores do meio-ambiente, poderão se manifestar. Também precisamos ver se as datas são plausíveis”, declarou Ciro Nogueira.
 
Questionado sobre como o Brasil poderia se preparar para acomodar a maior demanda por energia elétrica desencadeada por uma frota de carros elétricos, o senador do Piauí explica que o país precisará investir em “energias limpas”. “Hoje em grande parte do Nordeste, inclusive o meu Estado, já é auto-suficiente em energia limpa graças à energia eólica. Eu acredito que o Brasil, pela sua capacidade tanto solar quanto eólica, pode ser completamente auto-suficiente principalmente pelo uso cada vez maior desse tipo de energias renováveis, o que vem crescendo cada vez mais no Brasil e, em especial, no Nordeste”, explica Nogueira.
 
Para seguir adiante, o projeto PLS 304/2017 ainda precisa de um relator na Comissão de Constituição e Justiça, mas o senador acredita que ele será aprovado assim que começar a tramitar no parlamento. “Minha única dúvida é com relação às datas, mas eu não vejo como os senadores podem ir contra essa tendência mundial, até porque nós estaremos preservando o etanol, que é um produto genuinamente nacional. Então eu acho que a gente não tem que discutir a aprovação ou não, mas sim essas datas para colocar em prática a proibição dos carros movidos a combustíveis fósseis em nosso país. Minha expectativa é ter esse projeto aprovado ainda neste ano no Senado e, em 2018, na Câmara dos Deputados”, finaliza Ciro Nogueira. 

Compartilhe isso

Comentários