Ministro do Supremo Tribunal Federal bota na cadeia Joesley Batista

Brasil 10/09/2017 às 10:00


O ministro do Supremo Tribunal Federal Edson Fachin autorizou a prisão do empresário Joesley Batista, dono do grupo J&F (JBS/Friboi), e de Ricardo Saud, executivo da empresa, segundo informações do jornal O Estado de São Paulo.

As prisões seriam temporárias e ainda não há previsão de quando serão efetuadas pela Polícia Federal.

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu a prisão dos executivos do grupo que controla a JBS na última sexta-feira, após divulgação de áudio que gerou suspeitas contra delação de ambos.

Atualizado às 11:05

Joesley e Saud resolvem se entregar para evitar constrangimento
Dono e diretor da J&F estão em São Paulo e devem viajar a Brasília para se apresentar à Polícia Federal

O dono da J&F e o diretor de Relações Institucionais do grupo, Joesley Batista e Ricado Saud, respectivamente, devem se antecipar ao cumprimento do mandado de prisão expedido pelo ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), e se entregar à Polícia Federal (PF) nas próximas horas.

Um dos advogados da dupla, Pierpaolo Bottini, afirmou ao G1 que eles estão em São Paulo e esperam a notificação oficial da ordem de prisão para viajarem a Brasília a fim de se apresentarem à PF.

Joesley e Saud cumprirão prisão temporária de cinco dias devido à entrega à Procuradoria-Geral da República, por parte da própria J&F, de áudios comprometedores, segundo os quais a dupla teria omitido informações relevantes nos primeiros depoimentos, feitos sob suposta assessoria do ex-procurador Marcello Miller, poupado

Compartilhe isso

Comentários