Padre Reginaldo Manzotti vive profissão de gari por um dia em João Pessoa

Entretenimento 13/11/2017 às 10:37


 A limpeza urbana de João Pessoa contou, na manhã desse domingo (12), com um ajudante especial: o padre Reginaldo Manzotti. Ele esteve na Capital para lançar seu livro ‘Batalha Espiritual’ e aproveitou para cumprir o desafio feito pela Rede Evangelizar de Comunicação/TV Rede Vida de assumir a profissão de gari por um dia.

 
O desafio foi lançado no programa que o padre apresenta na TV Rede Vida. O público pôde optar entre três profissões: feirante, pedreiro e gari. Para compor a brincadeira, a Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur) disponibilizou um fardamento completo (calça, camisa, boné, botas e luvas), além de equipamentos, um caminhão compactador e uma equipe de agentes de limpeza para acompanhá-lo durante as filmagens.
 
A jornada de trabalho do padre como gari foi na Praia do Cabo Branco, ao lado de agentes de limpeza da Revita (empresa prestadora de serviço de limpeza urbana), que trabalham na coleta domiciliar, na varrição e catação no calçadão da Orla. As filmagens foram iniciadas com uma conversa informal sobre a realização diária do serviço, depois o padre vestiu a farda e seguiu fazendo a coleta com a equipe.
 
“Foi muito bacana. O padre é bem receptivo e nós tivemos a oportunidade de mostrar um pouco da nossa profissão e como a população pode auxiliar na realização do serviço de coleta”, disse Márcio da Silva, que trabalha há mais de cinco anos na coleta domiciliar.
 
Não demorou muito os fieis e fãs de Reginaldo Manzotii se aglomeravam para pedir sua benção, cumprimentá-lo e tirar fotos. O padre não se incomodou em interromper as gravações do programa e dar atenção a todos a sua volta.
 
“Fiquei surpresa e superfeliz de encontrar o padre Reinaldo Manzotti caminhando na praia, ainda mais vestido de gari. Foi uma benção”, comemorou a professora Maria José, que passeava com o marido na praia.
 
“Essa brincadeira foi para frisarmos que todas as profissões são importantes para a sociedade. Todo trabalhador é digno de seu salário, a exemplo do gari, ainda mais num país como o Brasil que é um dos que mais produzem lixo no mundo”, disse Manzotti.

Compartilhe isso

Comentários