Diretoria do Corinthians já pensa em contratações para a Libertadores 2018

Esporte 17/11/2017 às 10:00


 Antes de sair de férias, Fábio Carille vai deixar bem claro para a diretoria do Corinthians do que o elenco precisa para dar o próximo passo: ganhar a Libertadores, a prioridade de toda equipe que termina o Brasileiro nas primeiras colocações.

 
Após derrotar o Fluminense na última quarta (15), o Corinthians já é campeão.
 
"A partir do primeiro treino em 2018, nós já teremos na cabeça uma maneira de jogar", prometeu o treinador.
 
Ele acredita que esta foi a fórmula do sucesso em 2017. O Corinthians aprendeu seu estilo de jogo de forma mais rápida que os rivais.
 
A diretoria sabe que terá um vácuo na lateral esquerda. "O Arana provavelmente vai sair", reconheceu o diretor de futebol Flavio Adauto. O jogador tem proposta do Sevilla, da Espanha.
 
Esta é uma das posições que a cartolagem e Carille planejam reforçar. O treinador também vai observar Guilherme Romão, 20, que pertence ao clube e se destacou no empréstimo para o Oeste, que disputa a Série B.
 
Os reforços serão pontuais porque o entendimento é que o Corinthians já possui uma base montada e não tem dinheiro para contratações de peso, a menos que possam ser adquiridas sem o pagamento de multas contratuais.
 
Uma das possibilidades é a contratação do zagueiro Marllon, que disputa o Brasileiro pela Ponte Preta. Essa negociação, porém, está condicionada, entre outras coisas, às situações de Balbuena e Pablo. A deste último é a mais delicada, já que é preciso fechar acordo com o Bordeaux (FRA), que é dono dos direitos do jogador.
 
A ideia inicial era pagar cerca de R$ 4,5 milhões e ceder 15% dos direitos sobre o atacante Malcom, que já está no time francês. Como a tratativa não avançou, o Bordeaux não quis esperar e comprou a porcentagem por R$ 16 milhões em setembro.
 
"O que eu vejo é o interesse de todos os jogadores continuarem no elenco. Pelo que conversamos, todo mundo quer continuar", completa o diretor de futebol.
 
Um dos pontos a serem discutidos é a questão dos meias. Mesmo que Rodriguinho e Jadson continuem no clube, a Folha apurou que o Corinthians deseja um armador. Um dos problemas identificados pela comissão técnica no segundo turno do Brasileiro, quando a equipe caiu de rendimento, foi a falta de criatividade no meio-campo.
 
O clube também quer ter uma opção a Jô no banco de reservas e confia que o artilheiro do Campeonato Brasileiro (18 gols) vai continuar no próximo ano.
 
O atacante tem contrato com o Corinthians até 2019, mas o temor da diretoria, até algumas semanas atrás, era o aparecimento de proposta do exterior que pudesse seduzir o centroavante.
 
"Eu não tenho motivo para sair do Brasil. Já joguei na Rússia, Inglaterra e Turquia. Minha família está bem, minha mulher gosta de morar em São Paulo e sou grato ao Corinthians. Esta temporada foi a melhor da minha carreira", disse o artilheiro.
 
CLAYSON
 
O meia-atacante é um modelo do tipo de reforço que a equipe deseja obter para 2018. Contratado após o Campeonato Paulista, foi peça importante no título brasileiro. No primeiro semestre, ele estava na Ponte Preta junto com Lucca, atacante emprestado ao clube campineiro e que voltará para o Corinthians no final da temporada.
 
Clayson não poderá enfrentar o Flamengo neste domingo (19), no Ninho do Urubu. Por causa de confusão após o clássico contra o Palmeiras, no último dia 5, ele foi suspenso por uma partida pelo STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva).
 
No túnel que dá acesso ao vestiário, ele foi atingido por objetos atirados por Egídio e Felipe Melo, do Palmeiras. Este último (também suspenso por uma partida), alega ter sido alvo de uma cuspida de Clayson. O corintiano nega.

Compartilhe isso

Comentários