Festival de Música Clássica em JP traz artistas de Israel, Ucrânia, Holanda e Brasil

Cultura 27/11/2017 às 09:27


 A programação do primeiro dia do 5º Festival de Música Clássica contará com artistas brasileiros, israelenses, holandeses e ucranianos. Nesta segunda-feira (27), serão quatro concertos em locais diferentes do Centro da Capital. Os locais das apresentações serão Mosteiro de São Bento, Primeira Igreja Batista, Igreja do Carmo e Igreja de São Francisco. Além disso, três masterclasses serão executados. O Festival Internacional de Música Clássica é promovido pela Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), em parceria com o BNDES e Ministério da Cultura.

 
A programação começa às 10h, no Hotel Globo. No local serão realizadas as masterclasses de viola e violino, ministradas, respectivamente, pelo violista tcheco Vilém Kijonka e pela violinista russa Masha Iakovleva. Vilém Kijonka estudou em Praga no Conservatório e na Academia de Música, e, desde 2001, no Conservatório de Amsterdam com Nobuko Imai e Michael Gieler. Faz parte da famosa Orquestra do Concergebouw de Amsterdam (Holanda).
 
Masha Iakovleva é nascida em Moscou, onde teve suas primeiras aulas com Bojarskaya aos sete anos de idade. Tocou com várias orquestras europeias, entre elas a Orquestra Filarmônica de Bergen (Noruega), Orquestra de Câmara da Noruega, West-Deutsch Rundfunk de Colônia, Sinfonietta Amsterdam e, desde 1996, faz parte dos primeiros violinos da Filarmônica da Radio Holandesa. Tem se dedicado intensamente com concertos beneficentes na Holanda para ajudar a Ação Social pela Música – Núcleo João Pessoa (ASMJP).
 
Já no Centro Cultural Casa da Pólvora, também às 10h, acontece a masterclass de Violoncelo como o violoncelista polonês Tomasz Daroch. Nasceu em uma família artística em Lodz, na Polônia. Ele começou a tocar violoncelo aos sete anos de idade. Diplomado com distinção na Staatliche Hochschule für Musik und Darstellende Kunst (Escola de música) em Mannheim (Alemanha) e na Academia de Música de Bacewicz, em Lodz (Polônia). Atualmente trabalha como assistente na Academia de Música de Lodz.
 
Concertos
 
O primeiro concerto desta segunda-feira será de responsabilidade da Orquestra da Ação Social pela Música – Núcleo João Pessoa (ASMJP) com regência de Samuel Espinoza (Chile/Brasil). A apresentação acontece às 14h30, no Mosteiro de São Bento. A Orquestra é formada por estudantes de 6 a 16 anos do projeto Ação Social Pela Música do Brasil (ASMB), Núcleo João Pessoa, que atende atualmente 140 crianças na capital paraibana. Em João Pessoa, a iniciativa começou no Alto do Mateus, ensinando cerca de 70 crianças e adolescentes a partir de julho de 2015. Os alunos, de 6 a 16 anos, primeiro aprendem a tocar instrumentos de corda, que são viola, violino, violoncelo e contrabaixo. Depois aprendem a atuar como orquestra. Além do Alto do Mateus, o Ação Social Pela Música do Brasil passou a atuar também no bairro de Mangabeira, no Centro Cultural Tenente Lucena, na Casa da Pólvora e no Gervásio Maia (Centro  Cultural Gervásio Maia). Estão à frente do projeto em João Pessoa os professores Hector Rossi e Samuel Espinoza.
 
Às 16h, na Primeira Igreja Batista, no Centro, o grupo Top Five, do Brasil, realiza um concerto. O grupo é formado por alunos do Projeto Ação Social Pela Música do Brasil junto com Thais Ferreira, professora de violoncelo do projeto, formada pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. O quinteto foi formado com o objetivo de fazer um repertório diversificado. Nos violoncelos, Thais Ferreira, Jonas Bispo, Jean Barreto e Rogério Ribeiro, no contrabaixo David Nascimento. O Quinteto tem se apresentado em diversos espaços como faculdades de música, igrejas, e dentro do circuito tradicional de Música nos Museus.
 
O terceiro concerto do primeiro dia acontece às 18h na Igreja do Carmo com três artistas brasileiros: Ana de Oliveira (Violino) Dhian Toffolo (Viola) e Marcus Ribeiro (Violoncelo). Ana de Oliveira é uma violinista que se graduou na classe de Rainer Kussmaul, na Escola Superior de Música em Freiburg (Alemanha), onde viveu por nove anos. Foi também aluna de Lola Benda e Uwe Kleber no Brasil e Federico Agostini na Alemanha.
 
Dhian Toffolo iniciou os estudos musicais com dois anos de idade e com oito anos entrou no Conservatório Tatuí (SP) e concluiu o curso de violino aos 16 anos. O violoncelista brasileiro Marcus Ribeiro frequentou, a convite de Antônio Menezes, a seleta classe do renomado artista na Academia de Música na Basileia (Suíça), onde obteve o título de mestre. Atualmente é violoncelista da Orquestra Sinfônica Nacional e convidado com frequência a participar de várias orquestras brasileiras.
 
Apresentação internacional
 
Para encerrar o primeiro dia do Festival de Música Clássica haverá apresentações de uma trinca de artistas internacionais: Asi Matathias (Violino – Israel), Tosca Opdam (Violino – Holanda) e Victor Stanislavsky (Piano – Ucrânia). O violinista Asi Matathias é reconhecido como um dos talentos mais célebres de sua geração. Ele começou a tocar violino aos seis anos de idade.
 
Nascida em Amsterdam (Holanda), Tosca Opdam ganhou o primeiro prêmio no concurso Oskar Back Violin para os violinistas promissores holandeses, realizando o Quinto Concerto da Vieuxtemps no Concertgebouw. Estreou aos 11 anos com a Orquestra de cordas Camerata 2/3. Desde então tem se apresentado como solista com várias orquestras.
 
Victor Stanislavsky é aclamado como um dos mais famosos jovens pianistas em Israel na atualidade. Sua carreira internacional o levou a muitos países da Europa, ao extremo oriente e às Américas do Norte e do Sul.

Compartilhe isso

Comentários