Vacina contra dengue pode deixar pacientes mais expostos a picada do Aedes

Paraíba 02/12/2017 às 21:09


 As pessoas que tomaram a vacina contra a dengue fabricada pelo laboratório Sanofi-Aventis podem apresentar formas mais graves da doença sem ter tido contato prévio com o vírus da dengue. A informação foi publicada no portal oficial da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). De acordo com a instituição, as informações, mesmo que não conclusivas, podem detalhar ainda mais a evolução da dengue no corpo humano.

De acordo com o texto, existe a possibilidade de que as pessoas, após vacinadas, fiquem mais expostas a picada do mosquito transmissor.
 
“A vacina em si não desencadeia um quadro grave da doença nem induz ao aparecimento da doença de forma espontânea. Para isso, é necessário o contato posterior com o vírus da dengue por meio da picada de um mosquito infectado”, diz um trecho da publicação. A Anvisa ainda afirmou que a bula da vacina será atualizada.
 
Na íntegra: Tomo a vacina ou espero?
 
Neste momento, e até que a avaliação seja concluída, a recomendação é que a vacina não seja tomada por pessoas soronegativas, ou seja, pessoas que nunca tiveram contato com o vírus da dengue. Esclarecemos que este risco não havia sido identificado nos estudos apresentados para o registro da vacina na população para a qual a vacina foi aprovada.
A Dengvaxia foi aprovada no Brasil em 28 de dezembro de 2015.  A vacina não é oferecida pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI).
Antes do registro, a vacina foi estudada em mais de 40.000 pessoas em todo o mundo. Os ensaios clínicos seguiram os padrões estabelecidos por guias internacionais como “Guidelines for the clinical evaluation of dengue vaccines in endemic areas” da Organização Mundial da Saúde (OMS).
Atualmente a vacina da Sanofi é a única aprovada no Brasil. O produto é indicado para imunização contra os 4 (quatro) subtipos do vírus da dengue. Para as pessoas que já tiveram dengue, o benefício do uso da vacina permanece favorável.
As informações preliminares sobre alteração do perfil de segurança da vacina foram apresentadas para a Anvisa nesta semana. A Agência já realizou uma reunião com a Sanofi e com o grupo de vacinas da Organização Mundial da Saúde para avaliar o caso.
 

Compartilhe isso

Comentários