Batalhão de Polícia ambiental apreende armas e munições no Cariri

Policial 14/12/2017 às 09:34


 O Batalhão de Polícia Militar Ambiental (BPAmb) deu continuidade, nesta quarta-feira (13), à “Operação Cariri”, que tem como objetivo coibir a caça predatória de animais, como também combater a criação ilegal de espécies em cativeiro.

 
Na cidade de Sumé e adjacências, duas guarnições do Grupo Tático Ambiental (GTAM), sob o comando do Tenente Igor Vinícius, visualizaram  dois homens numa área de mata em atitude suspeita. Quando os policiais tentaram fazer a abordagem os suspeitos fugiram e deixaram duas espingardas de fabricação caseira.
 
Logo depois, os policiais receberam informações de que em uma residência existia vários apetrechos de caça e armamentos.
 
De imediato, as equipes dirigiram-se ao local, realizou buscas e encontrou cinco espingardas (duas de fabricação caseira, duas de calibre 28 e uma sem calibre definido). Também foram localizados cartuchos deflagrados e intactos, pólvora e espoletas, além de um tatu-peba em cativeiro.
 
Um homem foi preso e conduzido para a delegacia de Polícia da cidade de Monteiro, onde foi autuado pela posse ilegal de arma de fogo e por crime ambiental, além de uma multa aplicada de R$ 2 mil.
 
O tatu peba foi solto em seu habitat natural. Segundo o major Lucas, comandante do BPAmb, as ações contra a caça predatória irão ser intensificadas, pois são várias as denúncias dessa prática no interior do estado.

Compartilhe isso

Comentários