Governo destaca obras que garantirão segurança hídrica no Cariri e na Paraíba

Paraíba 29/12/2017 às 21:38


 O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Infraestrutura, Recursos Hídricos, Meio Ambiente e Ciência e Tecnologia, realizou diversas ações a fim de garantir a segurança hídrica para os paraibanos durante o ano de 2017. Foram obras como construção de adutoras, recuperação e construção de barragens, instalação de dessalinizadores, sistemas de abastecimento, além de ordens de serviços assinadas para início de importantes obras como a TransParaíba – Sistema Adutor do Curimataú.

 
O Governo do Estado, em 2017, alcançou a marca de 1400 km de adutoras construídas e que ainda estão em andamento. As principais adutoras entregues em 2017 foram as de Campina Grande, adutora emergencial de Itaporanga, Jandáia (Cacimba de Dentro), Pirpirituba-Belém, Itabaiana, Itaporanga/Nova Olinda/Pedra Branca. Ainda podemos citar o Sistema Adutor do Congo – 3ª etapa na cidade de Coxixola e o Sistema adutor de Princesa Isabel. Juntas, as obras ultrapassam o valor de R$ 60 milhões.
 
Também foram tocadas as obras do Sistema Adutor Nova Camará, que contam com investimentos na ordem de R$ 75 milhões. A obra vai garantir água de qualidade para sete cidades. São elas: Esperança, Remígio, Lagoa Seca, Matinhas, Pocinhos, Puxinanã e São Sebastião de Lagoa de Roça e ainda os distritos de Cepilho, São Tomé e Campinote.
 
Em 2017, também foi assinada ordem de serviço para início das obras da maior obra hídrica realizada pelo Governo do Estado, com recursos do Tesouro Estadual, a TransParaíba – Sistema Adutor do Curimataú. A obra vai levar água para mais de 150 mil moradores de 19 municípios e receberá investimento na ordem de R$ 197 milhões, na primeira etapa, enquanto na segunda etapa, o investimento será de R$ 132 milhões, totalizando R$ 329 milhões.
 
O Sistema Adutor do Curimataú contará com 350 km de adutoras que captarão a água do açude Boqueirão para abastecer as cidades de Boa Vista, Soledade, Boqueirão, São Vicente do Seridó, Cubati, Sossego, Baraúna, Picuí e Frei Martinho (1ª etapa); e Juazeirinho, Olivedos, Pedra Lavrada, Nova Palmeira, Cuité, Nova Floresta, Barra de Santa Rosa, Damião, Cacimba de Dentro e Araruna (2ª etapa).
 
Destaque também para o Canal Acauã-Araçagi, que possui uma extensão de 122 km e vai beneficiar mais de 600 mil habitantes de 38 municípios. A primeira etapa da obra está 96% concluída e será inaugurada no primeiro semestre de 2018. A execução das obras do Canal Acauã-Araçagi está dividida em três lotes. O primeiro possui aproximadamente 46 km, o segundo 49 km e o terceiro 34 km. O primeiro lote já recebeu investimentos superiores a  R$ 376 milhões  de um total de R$ 417,6 milhões para esta fase.
 
Com a conclusão do primeiro trecho, o canal estará apto a receber as águas do eixo Leste do Rio São Francisco, cuja captação se dará em uma tomada d’água construída na barragem de Acauã. Neste primeiro trecho a obra vai beneficiar quatro municípios paraibanos: Itatuba, Mogeiro, Itabaiana, São José dos Ramos.
 
O secretário de Infraestrutura, Recursos Hídricos, Meio Ambiente e Ciência e Tecnologia, João Azevêdo, fez um balanço positivo das ações realizadas em 2017: “Foi um ano repleto de ações que mudaram para melhor a vida de muitos paraibanos. Cada obra teve seu grau de importância. Tanto obras de grande porte, quanto as menores, serviram para levar condições dignas para o povo. Esse é um governo que se preocupa em levar obra para a população que mora na zona urbana e rural, nas pequenas e grandes cidades. Esse governo não se preocupa com o número de eleitores que um município tem e sim com a dignidade e atenção que o cidadão merece. Temos consciência do quanto já foi feito, mas sabemos que ainda temos muito a fazer, e faremos, se Deus nos permitir. No início do ano nós iremos entregar novas barragens, sistemas adutores e outras obras. Esse governo não para!”.
 
Em relação à construção de barragens, destacam-se cinco equipamentos que tiveram suas obras iniciadas e que fazem parte do Programa Mais Trabalho. São as barragens de Porcos (Pedra Lavrada), Cacimbinha (São Vicente do Seridó), Coronel Jueca (Desterro), Riacho Fundo (Tenório) e Pedra Lisa (Imaculada) que, juntas, somam investimento superior a R$ 20 milhões. Das cinco, as barragens de Cacimbinha e Riacho Fundo estão com as obras mais avançadas e deverão ser entregues em fevereiro do próximo ano.
 
Já pelo Programa de Recuperação de Barragens, que está em sua terceira etapa, o Governo do Estado entregou a barragem recuperada de Chã dos Pereiras, em Ingá, no mês de outubro, que beneficiou mais de 9 mil moradores das comunidades Pontinha, Chã dos Pereiras, Cutias, Rua da Palha e a cidade de Riachão do Bacamarte. Foram investidos no equipamento, mais de R$1 milhão. Pela segunda etapa do programa, em 2017, foram entregues as barragens Genipapeiro (Olho D’água), Canasfístola (Borborema), Natuba (em Natuba). Para o início do próximo ano, serão entregues as barragens Farinha (Patos), Saulo Maia (Areia) e Manoel Marcionilo (Taperoá). Desde 2011, o Governo já investiu cerca de R$22 milhões no Programa de Recuperação de Barragens.
 
Outra importante atuação do Governo em 2017 foi a execução do Programa Água Doce, do Governo Federal, que tem o objetivo de instalar dessalinizadores em comunidades rurais que possuem a função de tirar o excesso de sal da água para torná-la apta para o consumo humano. Na Paraíba, o Programa Água Doce (PAD) vem melhorando a qualidade de vida de famílias da região do Semiárido, tanto no que diz respeito à saúde delas, como na criação de possibilidade de geração de renda.  Nesses municípios, 27 sistemas estão operando, beneficiando 2.864 famílias e 10.843 pessoas. Contando com os 38 sistemas em obras, o investimento é de R$ 5,3 milhões. A meta é construir 93 sistemas de dessalinização beneficiando aproximadamente 50 mil pessoas do semiárido. Um programa está recebendo um total de R$22 milhões.
 
Para as comunidades que moram às margens do canal do São Francisco, o Governo do Estado garantiu sistemas de abastecimento de água nas comunidades de Monteiro, São José de Piranhas, Monte Horebe e Cajazeiras e os investimentos ultrapassaram R$10 milhões.
 
Também merece destaque a atuação de outro programa importante focado em levar água para comunidades rurais, que é o Programa Água para Todos, do Governo Federal. A Seirhmact executou a implantação 12 barreiros. Foram investidos cerca de R$ 576 mil só no ano de 2017 para essa ação. Ainda dentro do Água para Todos foram realizadas ações de implantação de 61 sistemas de abastecimento d’água, que somam mais de R$10 milhões em 2017.
 
Para minimizar os efeitos da estiagem nas cidades que estão com quadro de emergência pela ausência das chuvas, o Governo do Estado investiu na perfuração de poços tubulares profundos chegando a marca de 360 poços perfurados em 2017. Houve perfuração nos municípios de Alagoa Nova, Tenório, Campina Grande, Bananeiras, Mãe D’Água, Alcantil, Patos, Queimadas, Aroeiras, Cabaceiras, Emas, Logradouro, Fagundes, Santa Cecília, Coremas, Zabelê, Juarez Távora,  Riacho de Santo Antônio, São João do Cariri, Belém do Brejo do Cruz, Amparo, São João do Cariri, Ingá, São domingos, Itatuba, Nova Palmeira, Caturité,  Puxinanã, Lagoa Seca, Natuba, Riacho do Poço, Guarabira, Caiçara, Catolé do Rocha, Juazeirinho e Serra Branca. Desde 2011, R$14 milhões foram investidos na perfuração de 2.060 poços beneficiando em média 39 mil pessoas.
 
 

Compartilhe isso

Comentários